Um cão andaluz e o surrealismo.

3 out

Considerado o filme que melhor expressa o surrealismo experimental no cinema, “Um cão andaluz”, choca os telespectadores ao expor cenas nada convencionais. Um filme repleto de metáforas e cenas desconexas, lançado em 1928 na França por Luis Buñuel e Salvador Dalí.

 

O filme se inicia com uma cena um tanto “indigesta”, mostrando uma mulher que tem seu olho cortado por um homem com uma navalha, que é interpretado pelo próprio Buñuel. Para criar a cena, foi utilizado um olho de boi. Gerando muitas discussões e análises, para alguns a cena é vista como uma forma de agredir o telespectador, ferindo sua alma, uma vez que os olhos são considerados a janela da alma, para outros se trata de um símbolo da nova visão da realidade.

Observamos em outra cena um homem olhando para sua mão, de onde saem varias formigas, segundo a wikipédia fazendo uma alusão literária à expressão francesa “formigas nas mãos”, que significa “Um grande desejo de matar”. Uma cena feita propositalmente para chocar o telespectador e causar nele uma confusão, levando-o a criar varias interpretações a procura de uma lógica.

Em outra cena do filme também podemos encontrar uma crítica à Igreja, quando vemos o homem puxar dois pianos com dois burros mortos sobre ele e com dois padres amarrados, de acordo com o site kollision, criando uma metáfora do atraso cultural causado pela Igreja.

Sem dúvida nenhuma o filme recebe muito do estilo surrealista com a participação de Salvador Dalí, grande pintor desse estilo.

Segundo Juliano Mion do site cineplayers, Buñuel utiliza a imitação do processo do sonho, baseando-se diretamente nos estudos de Freud, com sua obra literária “A interpretação dos sonhos”, porém utiliza com forma cinematográfica, closes dramáticos, com o intuito de demonstrar a realidade interior dos personagens. Sendo um filme preto e branco e mudo ele acaba colaborando também com a estética do surrealismo.  

“Um cão andaluz”, expressa muito bem o surrealismo ao demonstrar suas cenas, como se fossem um sonho, elemento característico deste estilo, sempre valorizando a utilização da fantasia e da loucura, sem fazer relação com a racionalidade.  

 

Fonte: http://www.cineplayers.com/critica.php?id=1963

http://www.kollision.biz/movies/mov_files/mov_chienandalou.htm

 

por: Thais Fernandes

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: